Além disso, as turmas puderam se envolver em diversas experiências inovadoras e divertidas de recreação e exploração, em meio à natureza.

Na última semana, nossos estudantes do 1° ao 5° ano, do Ensino Fundamental I, tiveram a oportunidade de vivenciar uma série de atividades recreativas e ecológicas em viagem ao Acampamento Paiol Grande, no interior de São Paulo.

Coordenada pelas professoras Emilene Pardo Silveira e Katia Sternad, a viagem proporcionou aos estudantes, com idade entre 6 e 11 anos, a oportunidade de se desintoxicarem do excesso de tecnologia, já que durante o período de estadia no acampamento, eles não acessaram tablets e smartphones.

Além disso, as turmas puderam se envolver em diversas experiências inovadoras e divertidas de recreação e exploração, em meio à natureza.

As famílias se sentiam envolvidas, pois o acampamento faz imagens de todas atividades e as publica na internet, assim os pais puderam acompanhar, diariamente, a rotina de seus filhos.

Vivência no acampamento

“O acampamento é uma experiência muito significativa. Em alguns casos foi a primeira vez que os estudantes dormiram fora de casa, longe dos familiares e, esta vivência, proporcionou a eles o fortalecimento da autonomia, a aquisição de novos relacionamentos e a responsabilidades interpessoais, uma vez que, no acampamento, eles interagiram com os colegas do colégio e com a equipe de recreação”, contextualiza Emilene.

Outro fator significativo diz respeito à oportunidade de proporcionar aos estudantes algumas experiências investigativas, que despertaram sua curiosidade e interesse de exploração, ampliando o repertório das crianças de forma bastante significativa. “Colocar as crianças em um ambiente como este é totalmente benéfico e favorável ao processo intelectual e evolutivo”, explica Emilene.

Aprendizado além da sala de aula

Além das atividades recreativas, a vivência proporcionou aos estudantes novas oportunidades de aprendizado e socialização, como na pescaria, nos passeios a cavalo, na escalada, na patinação, no passeio de caiaque, nos jogos coletivos  e no arco e flecha, entre outras.

“Percebemos a curiosidade e a alegria de alguns com a natureza, o quanto gostaram da pescaria e se surpreenderam positivamente com os animais como cavalos, pássaros e até grilos. Vimos alunos que brincaram com esses animais pela primeira vez na vida”, explicam as educadoras.

Elas garantem que também foi notória a melhora na relação entre os professores e os estudantes. “Saímos de um ambiente escolar para um extra-escolar e, com isso, a relação fica muito mais leve, estreita e divertida até, pois participamos juntos das refeições, de algumas brincadeiras e aprendizados mútuos”, complementam.

Outro momento marcante, que se encaixa neste sentido, é o do passar pela lama. Ali, o acampamento convidava as crianças a participarem de algo inusitado, diferente e desafiador.

Já a possibilidade de proporcionar momentos como a roda da fogueira, que teria sido um dos mais marcantes durante a estadia, são essenciais para reforçar os benefícios dos acampamentos para as crianças, principalmente na realização de novas amizades e superação de desafios.

O estudante Diego Wittner de Oliveira, do 3° ano do Ensino Médio, também acompanhou a viagem fazendo a monitoria das crianças junto às educadoras.

Para elas, a possibilidade de proporcionar momentos como a roda da fogueira, que teria sido um dos mais marcantes durante a estadia, são essenciais para reforçar os benefícios dos acampamentos para as crianças, principalmente na realização de novas amizades e superação de desafios.