Mídias Criativas: ensaio fotográfico do Parque da Água Branca

Por: Isabel e Stephany

●    Introdução do ensaio fotográfico:

Independentemente do local onde habita, seja em metrópoles, no litoral ou em zonas rurais, a conexão com a natureza é fundamental na vida de todo ser humano! Além de nos proporcionar o acesso á alguns elementos básicos da vida, como água, alimento e energia, a natureza é um espaço de criatividade, recreação e de benefício ao psicológico e ao bem-estar humano.

Somado a isso, sob circunstâncias de tempo e espaço, há a provisão de serviços ecossistêmicos, que estão altamente ligados à biodiversidade, aos processos ecológicos e aos elementos de uma paisagem, incluindo atividades humanas e as consequências geradas a partir delas. Ou seja, esses serviços consistem na interdependência entre seres humanos e a natureza, na qual ações humanas acabam por impactar ecossistemas e a biodiversidade neles contida, trazendo consequências para as próprias sociedades humanas.

 

●    A importância do contato com a natureza para a infância e a saúde humana:

Apesar do cotidiano urbano apresentar várias comodidades, como o acesso a serviços públicos de educação, saúde e transporte, existem também algumas desvantagens. A maior delas é sem sombra de dúvidas a falta do contato com a natureza. Mesmo que as cidades estejam a poucos quilômetros de distância do campo, a vida nos centros urbanos é marcada pela correria e isso apenas dificulta esse contato.

O grande problema é que essa conexão é extremamente importante para o desenvolvimento das crianças. Manter uma relação mais próximas com as plantas, os animais e o ar puro, a partir de atividades como observar o pôr do sol, caminhar ao redor das árvores, ou até mesmo colher frutas, contribuem para a saúde e a felicidade dos pequenos.

Especificamente o contato com a natureza é essencial para:

  • Estimular o sensorial:

Nas áreas rurais, as crianças “embarcam” em novas aventuras e descobrem novas coisas à todo momento: andando com o pé na terra, cuidando de animais, subindo em árvores, etc;

  • Estimular hábitos saudáveis:

Por estarem naturalmente mais livres, as crianças são influenciadas a correr, pular, brincar e explorar mais. O hábito de estar em constante movimentação, leva a criança a sofrer menos com problemas de saúde;

  • Compreensão do mundo:

A proximidade com a natureza expande os horizontes das crianças, e as da um maior entendimento sobre como o mundo funciona;

  • Recarregar as energias:

Passar um tempo nas áreas rurais ou nos parques presentes nas cidades é uma excelente forma de desacelerar o ritmo, relaxar e acabar com a tensão que te rodeia.

Richard Louv é um escritor, pesquisador e poeta americano que enaltece a importância terapêutica do contato com o meio-ambiente. Em seus livros, Rich declara que as consequências geradas pelo confinamento nos edifícios das cidades durante a infância, como a obesidade e a miopia, podem ser reconhecidas por um Transtorno de Déficit de Natureza. E afirma, “Não precisamos comprar uma casa no campo para desfrutar da natureza. Todo e qualquer espaço verde já proporciona benefícios à saúde. Alguma experiência ao ar livre é sempre melhor do que nenhuma” .

Um estudo da Escola de Saúde Pública de Harvard reafirma os estudos do escritor, revelando que ter acesso à bosques, parques e jardins contribui para uma maior longevidade e também para um menor risco de ter doenças renais, respiratórias e psicológicas. Tal conclusão foi tomada a partir da análise de um prontuário médico de 108.630 americanas entre os anos de 2000 e 2008. Posteriormente, o estudo comparou o índice de mortalidade entre elas com a vegetação presente ao redor de suas casas, em um raio de 250 m². Assim eles descobriram que a taxa de mortalidade das mulheres que conviviam mais com a natureza era 12% menor!

Além disso, ao analisar a causa das mortes, observou-se que as mulheres que tinham mais contato com as áreas verdes tinham 41% menos chances de morrer por problemas nos rins, 34% por dificuldades respiratórias e 13% por câncer. O coordenador do estudo acredita que isso ocorra porque em um meio natural a prática de atividades físicas é estimulada, o contato com poluentes é relativamente menor, e a saúde mental é beneficiada.

Deste modo, tendo em vista os exemplos dados, é possível perceber como a relação com a natureza é fundamental para o bem-estar humano, além de influenciar terapeuticamente inúmeros tratamentos.

 

●    História do Parque da Água Branca:

O Parque Dr. Fernando da Costa, ou parque da Água Branca como é mais conhecido, foi criado oficialmente em 2 de junho de 1929 pelo secretário da Agricultura, Fernando Costa. Seu processo de formação foi iniciado em meados de 1904, onde o até então prefeito de São Paulo, Antônio da Silva Prado, formulou uma escola prática de pomologia e horticultura para que as pessoas pudessem dedicar-se às atividades agrícolas de forma profissional. Em 1991 a escola parou de funcionar.

Porém em 25 de abril de 1928, o governador Júlio Prestes, transferiu as antigas dependências do Zootécnico de São Paulo e o Recinto de Exposições de animais da Moóca, para Água Branca.

De 1939 a 1942, o Governo do Estado de São Paulo obteve uma área de pouco mais de 12.022,27m², totalizando a área atual do parque.

Em 1996, o parque foi tombado como bem cultural, histórico, arquitetônico, turístico, tecnológico e paisagístico pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado). E em 2004, pelo Conpresp (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo).

Mesmo com muitas mudanças, o parque continua com sua proposta inicial, sua preocupação com o desenvolvimento das pesquisas agropecuárias e o lazer, por meio do trabalho de entidades e órgãos presentes em suas instalações.

 

●    Imagens antigas do Parque da Água Branca:

 

 

 

 

  • Concretização do Ensaio fotográfico:

Nosso trabalho de Mídias Criativas foi realizado no dia 22/11/2020, em um sábado pela manhã. Lá observamos que, apesar da epidemia do Coronavírus, o parque estava lotado, e foi engraçado ver como inúmeras pessoas adaptaram suas atividades e continuaram se relacionando com a natureza: uns praticavam esportes, como o judô, outros caminhavam pelo parque e utilizavam as áreas de atividades físicas. Haviam também famílias comendo nas áreas de piqueniques, levando suas crianças nos parquinhos, tomando sorvete e comendo nos caminhões de fast food, sem contar com as pessoas que frequentavam a área dos idosos e observavam os animais. Mas é claro que, pelo que vimos, todos estavam respeitando o uso de máscaras e álcool em gel, e algumas áreas do parque estavam fechadas.

Nós mesmo, além de fotografarmos o espaço, os animais e o cotidiano de todas aquelas pessoas, fizemos um lindo piquenique, ao som de galos e crianças chorando.

 

●    Bibliografia:

https://saude.abril.com.br/mente-saudavel/a-importancia-do-contato-com -a-natureza-para-a-saude/

http://donafranciscafazenda.com.br/pt/post/importancia-do-contato-com -natureza-infancia

https://spbairros.com.br/parque-agua-branca/

https://www.saopaulo.sp.gov.br/sala-de-imprensa/release/parque-da-a g ua-branca-comemora-90-anos-e-abre-semana-nosso-ambiente/v

 

5 1 vote
Article Rating