6º ano: estudantes realizam atividades com base nas curvas de níveis

A disciplina de Geografia dedica-se, em grande parte, às formas de representação do relevo na produção, leitura e interpretação de mapas, cartas, imagens aéreas, croquis e plantas. Costuma-se dizer que a cartografia é a linguagem específica da Geografia.

Ao longo deste ano, o grupo do 6° ano estudou diversas formas de representar os fenômenos socioespaciais e uma das formas mais desafiadoras de serem compreendidas é a carta topográfica, a famosa carta de curva de nível, em atividades orientadas pelo professor Artur Attarian, de Geografia.

De acordo com o livro didático que utilizamos, “esses tipos de representação informam a variação de altitude das formas da superfície terrestre em relação ao nível do mar usando como base as curvas de nível – linhas que representam todos os pontos do terreno de mesma altitude”.

Por ser uma representação plana de algo bidimensional (perfil topográfico) ou tridimensional (as formas do relevo na realidade), as cartas topográficas exigem dos estudantes um alto grau de abstração ao observar o relevo cartografado.

Buscando superar essas limitações, realizamos uma atividade concreta para melhor compreender essas formas de representação do relevo. ‘Cartografamos’ massinhas de modelar e algumas frutas com intuito de compreender as representações topográficas para além do plano bidimensional apresentado aos estudantes nos materiais didáticos.

Confira um pouco da atividade!

5 1 vote
Article Rating